quinta-feira, 14 de maio de 2020

Ganhar dinheiro na quarentena


Olá amigos,

Hoje estou chegando com uma postagem diferente, mas muito propício para esse período que estamos vivenciando, pois conseguir uma renda extra de casa não é nada mal, não é mesmo?!

A grande dica que trago para vocês é uma mineradora de criptomoedas que, ao se cadastrar, já ganha $ 3,00 para começar a minerar, e a cada novo investimento seus ganhos se multiplicam. Fora as promoções e sorteios que rolam por lá...

Para quem ainda não conhece, o Vixes foi criado por entusiastas de criptomoedas que acreditavam no futuro delas. Após um extenso trabalho nesse campo, vários mineradores de criptografia da Austrália se uniram para criar uma empresa competitiva que daria a todos as condições favoráveis ​​para a mineração. A localização geográfica bem-sucedida da empresa e a economia australiana criaram condições favoráveis ​​para a criação de uma fazenda de mineração neste país. Hoje, o Vixes é um dos líderes de mercado em mineração de criptomoedas que está pronto para fornecer seu poder de mineração a todos Um dia, mudamos nossa vida para sempre, optando por seguir em frente. Estamos abertos a todos os novos parceiros que procuram uma maneira mais fácil e confiável de obter criptomoeda. Uma vez que mudamos nossas vidas para melhor. Agora é sua vez.

E não tem muito muito mistério, basta fazer seu cadastro, escolher uma das moedas que você quer minerar e pronto, o computador faz o resto do trabalho para você. Nesse vídeo abaixo, explico melhor como funciona a plataforma:



GANHE $ 3,00

- Faça seu cadastro aqui: CADASTRO
Compartilhar:

terça-feira, 28 de abril de 2020

Para Brincar em Casa - Jogo dos Animais


Estamos passando por um momento bem delicado, nunca antes visto na Educação, e se adaptar a essa nova rotina de ficar em casa é a melhor forma para não prejudicar o desenvolvimento da criança. Para isso, jogos lúdicos são muito importantes para distrair a criança, desenvolver habilidades e ensinar de uma forma divertida. Dessa forma, preparei um jogo que pode ser jogado de 5 formas diferentes, onde cada uma delas vai desafiar uma nova habilidade de seu filho.

Primeiro devemos imprimir as duas folhas abaixo, deixar a criança pintar e depois colar em um papel duro (cartolina ou cartão) e recortar.

(Clique sobre a imagem para ampliá-la e salvar em seu computador)



1 - DESCOBRINDO O ANIMAL

Uma criança pega uma carta sem que ninguém veja. Ela deverá fazer o som do animal e os outros tentam adivinhar. O primeiro a acertar substitui a criança.

(Variação: a criança poderá dar características do animal - tem orelha grande, tem listras, é marrom etc)

2 - MÍMICA

O famoso jogo de imitar. A criança pega uma carta virada para baixo e faz gestos sem emitir nenhum som daquele animal. Quem acertar substitui a criança.

3 - JOGO DO MICO

Para esse jogo é necessário imprimir duas folhas de cada página para fazer par, com o detalhe de deixar apenas uma carta de macaco no monte. Para jogar deve ser distribuído 5 cartas para cada jogador que deverá ir comprando para formar os pares.  O primeiro jogador deverá pegar uma das cartas na mão de quem estiver à sua esquerda, sem olhar a figura. Quando formar algum par (duas cartas com o mesmo personagem), o jogador deverá coloca-lo à sua frente. O jogo continuará com cada jogador retirando uma carta por vez de quem estiver à esquerda. O jogo terminará quando sobrar apenas o Mico com um dos jogadores. Quem conseguir formar o maior número de pares será o vencedor.

4 - JOGO DA MEMÓRIA

Para esse jogo também deverão ser impressos duas folhas de cada página. Para jogar basta misturar as cartas, espalhando-as de cabeça para baixo e a criança deverá tentar encontrar os ares dos animais, virando uma de cada vez. se acertar tenta de novo, se errar é a vez do outro jogador.

5 - COLOCANDO EM ORDEM ALFABÉTICA

Para essa brincadeira a criança deve organizar as cartas em ordem alfabética de acordo com a primeira letra de cada animal. Nessa brincadeira poderá ser trabalhado as letras e a forma de escrita de cada nome animal.




☺ Você poderá gostar também de:


Compartilhar:

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

3º Dia de Aula - Construindo a Identidade (Família)


Para se situarem, os alunos precisam entender os muitos círculos sociais aos quais estão vivendo (família, escola, amigos, grupos religiosos etc). Para isso é muito importante a sua caracterização e a importância de cada um dele para sua vida. Dessa forma ele conseguirá reforçar melhor os laços e ao mesmo tempo, construir sua identidade entendo seu lugar no mundo.

1º Momento:

Crie em sala de aula um painel de uma árvore genealógica ilustrativa, colocando em ordem decrescente dos avós aos netos: Avô e avo - Pai e mãe - Filho e filha. Use esse painel para explicar o conceito de família, salientando a diversidade existente hoje em dia, falando que elas não seguem um único padrão. Pode exemplificar e iniciar uma roda de conversa pedindo para que cada aluno fale como é sua família.

2º Momento:

Trabalhe algumas atividades com seus alunos usando recursos como massinha (modelar sua família); atividades em folha e recorte e colagem.

(Clique sobre a imagem para ampliá-la e salve em seu computador)





Campos de Experiências trabalhados: O eu, o outro e nós; Escuta, fala, pensamento e imaginação; Espaço, tempo, quantidades, relações e transformações.



☺ Você poderá gostar também de:

Compartilhar:

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

2º Dia de Aula: Adaptação e Atividades (Nova BNCC)



Se é a primeira vez da sua turma na escola ou não, todos eles precisam de um tempo para se adaptarem as novas rotinas, ao novo espaço de aula, aos novos coleguinhas e até mesmo ao professor. Nesses primeiros dias de aula é muito importante tirar algum tempinho nas aulas para conhecer o seu aluno e deixar que ele conheça você.

Alguns exemplos de atividades para a adaptação são:


  • Passar a bola: Faz duas fileiras, uma de frente para a outra, e o aluno que tiver com a bola fala o seu nome, idade e o que mais gosta de... (brincar, comer, fazer etc). Depois ele arremessa com cuidado para o colega que está a sua frente, passando a vez para ele falar.

  • O mestre mandou: Faz duas fileiras, colocando os alunos sentados um de frente para o outro formando pares, e coloca-se algum objeto entre eles (bolinha de ping-pong, tampinha de garrafa, um brinquedo etc). O professor dá alguns comandos para colocar a mão em uma das partes do corpo (coloque a mão no nariz, no joelho, na barriga etc), e quando disser já os dois alunos tentarão pegar o objeto. Aquele que conseguir pegar, vence.

  • Semelhanças e diferenças: O professor apresenta dois objetos aparentemente semelhante e pede os alunos para listarem quais são as semelhanças e depois as diferenças. Por exemplo, mostra duas bolinhas porém de cores diferentes, no início talvez eles não consigam assimilar as diferenças, mas aos poucos eles vão percebendo e falando.

  • Esse é meu espaço: o professor coloca uma música aleatória para tocar, assim que ele parar a música deve dar uma ordem para seus alunos irem para algum canto da sala. Por exemplo, encostem na parede dos fundos, sentem no chão, coloquem a mão direita no quadro, sentem na carteira do coleguinha, coloquem o pé na porta etc.

Nessa etapa também é bom definir alguns limites, trabalhando os combinados da turma e também a organização da sala.




Campos de Experiências trabalhados: O eu, o outro e nós; Corpo, gestos e movimentos; Escuta, fala, pensamento e imaginação.
Compartilhar:

terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

1º Dia de Aula: Planejamento e Atividades (Nova BNCC)


A ACOLHIDA no primeiro dia de aula será a parte mais importante do seu planejamento. Na volta às aulas, muitas crianças estão retornando à escola vindas de uma turma anterior e outras, dependendo de qual turma escolha para trabalhar, nunca pisou numa escola antes. Então é normal que a maioria se sinta desconexa daquele ambiente, receio na interação com o professor e com outros colegas e até mesmo estranhamento e choro, sentindo falta de casa ou dos pais.

Para contornar isso, no acolhimento das crianças, o professor deve tomar uma postura simpática, alegre, empática e carinhosa. Na educação infantil, usar roupas coloridas, penteados diferentes ou blusas e peças de roupas com desenhos conhecidos, traz uma estratégia do quebra-gelo inicial, onde a criança se identificará com o que está vendo. Então passar segurança e conforto é fundamental nesse primeiro momento.

Então passamos para a ROTINA, que deve ser seguida com disciplina nos primeiros dias para que a criança acostume-se ao novo ambiente ao qual ela está ingressando. Nessa parte o professor deverá analisar seus alunos, a realidade de sua escola e qual a melhor metodologia a ser utilizada. Aqui fica algumas dicas:

- Saudação de Bom dia (Boa tarde), acompanhado de alguma música com o tema:

Bom dia coleguinhas 
(Música "Caranguejo não é peixe")

Bom dia coleguinhas,
Como é bom estar na escola
Eu estava com saudades
É tão bom te ver agora.

- Apresentação com os nomes (Chamadinha) e conversa sobre como foi as férias;

- Roda de musicas com cantigas infantis: Borboletinha, Jacaré Poiô, Pirulito que bate-bate, Pombinha Branca, De abóbora vai melão etc.

Após esse momento, as crianças já estarão mais descontraídas e assim o professor conseguirá a atenção de seus alunos para realizar a primeira DINÂMICA em sala:



Essa atividade ocupará alguns minutos da aula, porém se o professor notar que os alunos estão tendo dificuldades em encontrar os objetos, deve ser dado algumas dicas para finalizar e passar o propósito da dinâmica.

Dado um momento para eles absorverem a mensagem passada e se deliciarem com o prêmio de sua caçada, o professor deve retomar a atenção deles, organizando uma rodinha para contar uma história. Como estamos falando sobre volta às aulas, uma boa sugestão que pode ser trabalhada é "Camila e a volta às aulas" (veja a história completa aqui).

Ainda na rodinha da história, o professor pode abrir um momento de discussão sobre a história e levantar algumas questões para os alunos responderem de forma oral:

1- Você gostou da historinha?
2 - Qual é o título da história?
3 - Como se chama o primo de Camila ?
4 - E você, qual a sua opinião sobre a sua escolinha? Como é o seu professor?

Para encerrar esse momento, o professor pode pedir aos seus alunos para ilustrarem a história ou desenharem o seu primeiro dia de aula e como é sua nova escola.


Campos de Experiências trabalhados: O eu, o outro e nós; Corpo, gestos e movimentos; Escuta, fala, pensamento e imaginação.

Compartilhar:

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Atividades para serem trabalhadas "Traços, Sons, Cores e Formas"



Esse campo de experiência traz aprendizagens que serão a base de muito o que se aprenderá no Ensino Fundamental. Explorar alguns elementos que envolvam o toque, as sensações, os sons e a visão favorecerá funções cognitivas essenciais ao desenvolvimento.

Nesse campo, atividades como blocos lógicos, desenho, pintura, música, coordenação motora e escrita, podem auxiliar a aprendizagem de seus alunos. Para isso separei algumas atividades lúdicas que, acompanhadas da didática da aula, o aluno aprenderá enquanto se diverte:

01 - MASSINHA DE MODELAR


Prepare em sala de aula com seus alunos essa receita e faça-os participar de todos os processos. No fim, o brincar será bem mais significativo pela experiência do fazer.

02 - TINTA DE GELATINA


Receita bem simples de uma tinta que pode ser manuseada por todas as faixas etárias e não correr perigo de ingestão. Para usá-la em aula, faça diversas cores e deixe seus alunos escolherem para fazer desenhos livres ou pintar algum desenho de acordo com o tema que esteja trabalhando.

03 - BOLHAS DE SABÃO


Essa é uma excelente atividade para se brincar nos dias mais quentes, em que ficar dentro de uma sala de aula não seja tão agradável. A brincadeira de bolha de sabão pode ser acompanhada de jogos com balões de água, brincadeiras com mangueira ou atividades de movimento. Nessas brincadeiras podem ser abordados o consumo inteligente e preservação ambiental.

04 - SLIME


Brincadeira que virou tendência nos últimos anos, a criançada se diverte enquanto brincam de manusear essa gosma colorida. Para tornar a aula mais atrativa, faça a receita com seus alunos e deixe-os participar dos processos de criação, até a distribuição de partes iguais para se divertirem.

05 - PINTURA FACIAL


A pintura facial trabalha muito a emoção e a imaginação de cada aluno. Trabalhar com eles músicas, coreografias, encenações e brincadeiras dirigidas caracterizados com seus personagens favoritos ou com pequenos detalhes em seus rostos o deixarão mais dispostos a participar dessas atividades. Dessa forma, prepare a receita, treina alguns desenhos básicos, como borboletas, máscaras de super heróis, pequenos animais e traços característicos de personagens famosos (como um floco de neve para representar a Elsa) e use esse recurso em suas aulas.

06 - GELATINA DE LEGO


Uma dos momentos que as crianças mais gostam na escola é quando chega a hora de brincar com as pecinhas de lego. Para deixar esse momento ainda mais prazeroso, o professor pode trabalhar as cores e formas aliado a um lanche bem saudável, onde as crianças não se importarão de participar pelo fascínio de ver uma comida na forma de um de seus brinquedos favoritos.

***

E então, o que acharam dessas ideias???



☺ Você poderá gostar também de:


Compartilhar:

Atividades de Adaptação (Volta às aulas)



O regresso à escola é um momento crucial na vida do aluno. Alguns estão tendo essa experiência pela primeira vez, outros precisam se readaptar a nova rotina. Para isso, os primeiros dias de aula são tirados para adaptação, onde o professor manterá uma proximidade maior do seu aluno, conhecendo-o melhor e também facilitando esse ingresso na turma.

Nos primeiros dias é bem comum trabalhar dinâmicas, jogos, dar voltas pela escola para conhecer todos os espaços e profissionais de cada setor, para que o aluno se sinta à vontade e parte daquela comunidade.

Separei então algumas atividades que podem ser trabalhadas nos primeiros dias, onde o professor buscará despertar a imaginação, curiosidade, o fazer artístico e o conhecimento sobre si e os outros. Para essas atividades o aluno deverá criar desenhos representando os enunciados e também completando alguns dados sobre si:

(EI-EO e EI-EF)

Para salvá-la em seu computador, clique sobre a imagem para ampliá-la, depois aperte com o botão do mouse em cima dela e selecione a opção "Salvar como", escolhendo o destino para ser salva.












☺ Você poderá gostar também de:



Compartilhar:

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Entendendo os 5 Campos de Experiência da BNCC na Educação Infantil



A definição e a denominação dos campos de experiências também se baseiam no que dispõem as DCNEI em relação aos saberes e conhecimentos fundamentais a ser propiciados às crianças e associados às suas experiências. Considerando esses saberes e conhecimentos, os campos de experiências em que se organiza a BNCC são:

O eu, o outro e o nós

É na interação com os pares e com adultos que as crianças vão constituindo um modo próprio de agir, sentir e pensar e vão descobrindo que existem outros modos de vida, pessoas diferentes, com outros pontos de vista. Conforme vivem suas primeiras experiências sociais (na família, na instituição escolar, na coletividade), constroem percepções e questionamentos sobre si e sobre os outros, diferenciando-se e, simultaneamente, identificando- se como seres individuais e sociais. Ao mesmo tempo que participam de relações sociais e de cuidados pessoais, as crianças constroem sua autonomia e senso de autocuidado, de reciprocidade e de interdependência com o meio. Por sua vez, na Educação Infantil, é preciso criar oportunidades para que as crianças entrem em contato com outros grupos sociais e culturais, outros modos de vida, diferentes atitudes, técnicas e rituais de cuidados pessoais e do grupo, costumes, celebrações e narrativas. Nessas experiências, elas podem ampliar o modo de perceber a si mesmas e ao outro, valorizar sua identidade, respeitar os outros e reconhecer as diferenças que nos constituem como seres humanos.

Corpo, gestos e movimentos

 Com o corpo (por meio dos sentidos, gestos, movimentos impulsivos ou intencionais, coordenados ou espontâneos), as crianças, desde cedo, exploram o mundo, o espaço e os objetos do seu entorno, estabelecem relações, expressam-se, brincam e produzem conhecimentos sobre si, sobre o outro, sobre o universo social e cultural, tornando-se, progressivamente, conscientes dessa corporeidade. Por meio das diferentes linguagens, como a música, a dança, o teatro, as brincadeiras de faz de conta, elas se comunicam e se expressam no entrelaçamento entre corpo, emoção e linguagem. As crianças conhecem e reconhecem as sensações e funções de seu corpo e, com seus gestos e movimentos, identificam suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo, ao mesmo tempo, a consciência sobre o que é seguro e o que pode ser um risco à sua integridade física. Na Educação Infantil, o corpo das crianças ganha centralidade, pois ele é o partícipe privilegiado das práticas pedagógicas de cuidado físico, orientadas para a emancipação e a liberdade, e não para a submissão. Assim, a instituição escolar precisa promover oportunidades ricas para que as crianças possam, sempre animadas pelo espírito lúdico e na interação com seus pares, explorar e vivenciar um amplo repertório de movimentos, gestos, olhares, sons e mímicas com o corpo, para descobrir variados modos de ocupação e uso do espaço com o corpo (tais como sentar com apoio, rastejar, engatinhar, escorregar, caminhar apoiando-se em berços, mesas e cordas, saltar, escalar, equilibrar-se, correr, dar cambalhotas, alongar-se etc.).

Traços, sons, cores e formas 

Conviver com diferentes manifestações artísticas, culturais e científicas, locais e universais, no cotidiano da instituição escolar, possibilita às crianças, por meio de experiências diversificadas, vivenciar diversas formas de expressão e linguagens, como as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, fotografia etc.), a música, o teatro, a dança e o audiovisual, entre outras. Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens, criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria (coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações, canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de recursos tecnológicos. Essas experiências contribuem para que, desde muito pequenas, as crianças desenvolvam senso estético e crítico, o conhecimento de si mesmas, dos outros e da realidade que as cerca. Portanto, a Educação Infantil precisa promover a participação das crianças em tempos e espaços para a produção, manifestação e apreciação artística, de modo a favorecer o desenvolvimento da sensibilidade, da criatividade e da expressão pessoal das crianças, permitindo que se apropriem e reconfigurem, permanentemente, a cultura e potencializem suas singularidades, ao ampliar repertórios e interpretar suas experiências e vivências artísticas.

Escuta, fala, pensamento e imaginação

Desde o nascimento, as crianças participam de situações comunicativas cotidianas com as pessoas com as quais interagem. As primeiras formas de interação do bebê são os movimentos do seu corpo, o olhar, a postura corporal, o sorriso, o choro e outros recursos vocais, que ganham sentido com a interpretação do outro. Progressivamente, as crianças vão ampliando e enriquecendo seu vocabulário e demais recursos de expressão e de compreensão, apropriando-se da língua materna – que se torna, pouco a pouco, seu veículo privilegiado de interação. Na Educação Infantil, é importante promover experiências nas quais as crianças possam falar e ouvir, potencializando sua participação na cultura oral, pois é na escuta de histórias, na participação em conversas, nas descrições, nas narrativas elaboradas individualmente ou em grupo e nas implicações com as múltiplas linguagens que a criança se constitui ativamente como sujeito singular e pertencente a um grupo social.

Desde cedo, a criança manifesta curiosidade com relação à cultura escrita: ao ouvir e acompanhar a leitura de textos, ao observar os muitos textos que circulam no contexto familiar, comunitário e escolar, ela vai construindo sua concepção de língua escrita, reconhecendo diferentes usos sociais da escrita, dos gêneros, suportes e portadores. Na Educação Infantil, a imersão na cultura escrita deve partir do que as crianças conhecem e das curiosidades que deixam transparecer. As experiências com a literatura infantil, propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças, contribuem para o desenvolvimento do gosto pela leitura, do estímulo à imaginação e da ampliação do conhecimento de mundo. Além disso, o contato com histórias, contos, fábulas, poemas, cordéis etc. propicia a familiaridade com livros, com diferentes gêneros literários, a diferenciação entre ilustrações e escrita, a aprendizagem da direção da escrita e as formas corretas de manipulação de livros. Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de representação da língua.

Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações 

As crianças vivem inseridas em espaços e tempos de diferentes dimensões, em um mundo constituído de fenômenos naturais e socioculturais. Desde muito pequenas, elas procuram se situar em diversos espaços (rua, bairro, cidade etc.) e tempos (dia e noite; hoje, ontem e amanhã etc.). Demonstram também curiosidade sobre o mundo físico (seu próprio corpo, os fenômenos atmosféricos, os animais, as plantas, as transformações da natureza, os diferentes tipos de materiais e as possibilidades de sua manipulação etc.) e o mundo sociocultural (as relações de parentesco e sociais entre as pessoas que conhece; como vivem e em que trabalham essas pessoas; quais suas tradições e seus costumes; a diversidade entre elas etc.). Além disso, nessas experiências e em muitas outras, as crianças também se deparam, frequentemente, com conhecimentos matemáticos (contagem, ordenação, relações entre quantidades, dimensões, medidas, comparação de pesos e de comprimentos, avaliação de distâncias, reconhecimento de formas geométricas, conhecimento e reconhecimento de numerais cardinais e ordinais etc.) que igualmente aguçam a curiosidade. Portanto, a Educação Infantil precisa promover experiências nas quais as crianças possam fazer observações, manipular objetos, investigar e explorar seu entorno, levantar hipóteses e consultar fontes de informação para buscar respostas às suas curiosidades e indagações. Assim, a instituição escolar está criando oportunidades para que as crianças ampliem seus conhecimentos do mundo físico e sociocultural e possam utilizá-los em seu cotidiano.



IMPORTANTE

A PARTIR DAS PUBLICAÇÕES DO ANO DE 2020, O BLOG ARMÁRIO DO PROFESSOR ORGANIZARÁ SUAS ATIVIDADES DE ACORDO COM A BNCC, SEGUINDO OS CAMPOS DE EXPERIÊNCIAS CITADOS. PARA FACILITAR A DESCRIÇÃO USAREMOS A SEGUINTE LEGENDA PARA CADA CAMPO:

- O EU, O OUTRO E NÓS: (EI-EO)

- CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS: (EI-CG)

- TRAÇOS, SONS, CORES E FORMAS: (EI-TS)

- ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO: (EI-EF)

- ESPAÇO, TEMPO, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES: (EI-ET)



Compartilhar:

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Atividades - Pátria



ATIVIDADE LÚDICA:

- Mostre aos alunos a Bandeira do Brasil e explique cada forma geométrica que compõe a bandeira: retângulo, losango, círculo, a faixa (linha curva) e estrelas.

- Separe com antecedência revistas e jornais para que os alunos possas procurar figuras que lembram essas formas geométricas (Ex: bola pode representar o círculo; uma porta pode representar um retângulo etc);

- Divida os alunos em grupos, deixando cada grupo responsável por uma forma geométrica. Por fim monte um painel coletivo com as formas encontradas.

ATIVIDADES EM FOLHA:

(Clique sobre a imagem para ampliá-la para salvar em seu computador)




☺ Você poderá gostar também de:

Compartilhar:
Proxima  → Página inicial

Deixe seu like :)

Total de visualizações

; //]]>